Os fundamentos da fé


Os fundamentos da fé
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Mais de 6 mil pessoas acompanham aulas consecutivas sobre fé em encontro presencial.

A fé foi o tema das três aulas ministradas pelo pastor Gedelti Gueiros durante o encontro presencial, na tarde do último dia 15 de outubro, no Maanaim de Cariacica, no Espírito Santo. Com a presença de 1,1 mil pessoas, as aulas foram também transmitidas via satélite para as igrejas, alcançando um público estimado em mais de 5 mil pessoas.

A primeira aula teve como tema central a história bíblica da fé. “A fé no Velho Testamento tem base no projeto do Deus-Pai, através do pacto ou da aliança de Deus para com o homem", explicava o pastor Gueiros, para em seguida continuar: "A principal manifestação é o chamado de Abraão, pois tem um propósito, um objetivo, que é o de formar uma grande nação”, falava. 

Para diferenciá-la da fé do homem, o pastor Gueiros insistia: “A fé que vem de Deus é eterna, não é temporal. E será retirada quando a igreja for arrebatada”, enfatizava. Mas o professor chamava a atenção dos irmãos para o fato de que o alcance da fé de Deus, somente se manifesta com a obediência do homem, pois sem isso, segundo ele, não existiria. Como exemplo citou a narrativa sobre Sansão e o pacto do naziriato.

A fé no Velho Testamento traz como marca o fortalecimento e experiência, como narrado no livro de Hebreus, capítulo 11:4-5, “pois não está baseada no aparente. Abel foi justificado pela fé”, afirmava o pastor Gueiros, para dem seguida finalizar: "a fé é profética".

Na segunda aula, o tema foi aprofundado. “O assunto é inesgotável”, dizia o professor, antes de iniciar a leitura do capítulo 11 do livro de Hebreus, dos versículos 11 ao 20. “A cada um a fé foi manifestada conforme os textos”, explicava. Ele chegou até a citar o episódio da mulher cananeiaa como exemplo de fé no ministério de Jesus. “Ó mulher, grande é a tua fé!”, encerra o texto em Mateus capítulo 15:28, “Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.”

Durante a segunda aula foram narrados episódios históricos que confirmam a entrada da “falsa” ciência na vida da Igreja do primeiro século, no chamado período helenístico, momento em que a igreja deixa de ser profética para ser histórica. Mas hoje, “a grande responsabilidade é proclamar que a fé está viva”, exortava o pastor Gueiros.

Após um pequeno intervalo, a terceira aula teve como conteúdi aspectos da fé na obra criadora e na obra redentora. “As bases da fé da obra criadora não estão fundamentadas em misticismo, superstição e nem tampouco em falso deveres”, explicava o professor. Depois, ele falou sobre a interferência da entrada da teologia e da filosofia, como ciências, na ordem do culto, que segundo ele, é reponsável pela geração de uma fé materialista.

Expressões hebraicas no Velho Testamento também foram exemplificados como recursos proféticos para fé verdadeira. “A fé é o agente de união entre Deus e o homem. E tudo isso é resultado do sacrifício de Jesus no calvário e que foi derramado no Pentecoste”, finalizou.

Os fundamentos da fé

Veja Também:

Artigos Relacionados